Pesquisar este blog

domingo, julho 26, 2009

25 de Julho

-"Galiza somos nós
a xente máis a fala
se buscas a Galiza
en ti tes que atopala"
-Manuel María-
"Se aínda somos galegos e por obra e gracia do idioma"
-A. Castelao-
A minha pátria é a lingua.
Mas quem é a lingua entom?
A lingua é a terra arada,
a lingua é o cheiro a gasolina queimada
dos tractores sitiando á cidade,
a lingua som os marinheiros lonje do faro que alumea á humanidade,
a lingua som os obreiros caminhando ó trabalho
com o sono nas palpebras,
a lingua somos os estudantes estudando
a forma de nom fazear nada,
a lingua som as pensionistas e jubiladas.
A língua som os sonhos das persoas
que fujirom e voltarom, que quedarom
para manter acesso o facho da esperanza
dumha vida máis próspera e grande
aínda que a fim cativa toda ela.
A minha pátria é a lingua,
a minha pátria existe hoje
lonje dos que nom a vem ou dos que
com passo firme a pissam.
A minha pátria vale máis que mil impérios
porque ela sécular aninha
sementes de vencer e albas de glória!
Eu decláro-me patriota orgulhoso
desta pátria proletaria que cre na liberdade dos sonhos.
Desta pátria que ama há mil anos
quando o mundo era infernos quijotescos!
Porque a minha pátria vale máis do que mil impérios!

Um comentário:

O Garcia do Outeiro disse...

Para enmarcar. Volvemos estar em contacto literário, camarada. Umha aperta irmandinha