Pesquisar este blog

segunda-feira, julho 20, 2009

Apolo, o home e a LUA

Os primeiros homes em chegar à Lua
nom fôrom homes, mas si mulheres,
porque fôrom os poetas, as poetisas,
e nom os homes de cinça e alumínio,
os que lá pugérom seus pés
com penas de algodom por vez primeira.

O Apolo nom viu mais Lua que a que pissárom
seus insensíveis pés metálicos
após milheiros visitas feitas em sonhos
polas mulheres e os homes das pirámides.
Aqueles que a visitárom sem deixar
outra bandeira que nom fosse
a bandeira de toda a Humanidade:

A Lua é liberdade...
A Lua de Lorca segue alumando aos gitanos
por cima da oliveira onde o seu génio descansa.

A mulher foi a brava semente da poesia,
a Lua a mulher feita metáfora,
um estanque em que se reflecte ainda
fôrom os femininos cantares de amigo.
E a Terra? E a Humanidade?
Ai a Terra e a Humanidade,
quem puidera convosco voar!
Doce mágoa das minhas entranhas!

4 comentários:

Raíz Verde disse...

A lúa é também a referência dos labregos em muitas das súas tarefas, provoca seica as mareias, etc. A lúa já foi das mulheres e dos homes muito antes do que do apolo XI.
A lúa é nossa, Nós SOS!

O Garcia do Outeiro disse...

Como nom vai ser nossa, já o di a cançom "Vamos a la luna calienta el sol, chiribi poropopó!" xD

Tés razom esquezim-me de dizer que essa primeira mulher em chegar a Lua fora umha labrega...

A Conxurada disse...

Fermoso poema, gostei. Non sei, inspiroume tenrura, e non sabería dicir ben o porqué.

Apertas.

Novato En todo disse...

Precio Poema, la verdad es que te lo currarte...
Blog de Vigo