Pesquisar este blog

domingo, setembro 23, 2012

CHOIVA INAUGURAL. É OUTONO




Inda ontem facía sol
e o crepúsculo semelhaba
umha explosom de cores
preparada com tudo o mimo
pra um espectáculo.
Vaidade de empenhar-se
em emborrona-lo,
auga escorregante
que dilúe cores e colorido!

Hoje asoma a choiva
que tanto atrás me molhou
e que tantos prados deixou secos
na súa ausência solheira.
Cae agora inaugurando
o corisco outonal,
festa das folhas secas
a voar, mecidas no ar
cal canto de berce que
fam adormecer cativo inquedo.

É fermoso ver chover
cando é bonito.
Chove pra que eu sonhe.
E bonito é calquera cousa
cando nom há outra que a faga feia.
E a iauga, meus amigos, é vida,
primavera do outono seco.

2 comentários:

Jorge CimadeVila disse...

Não deve somhar-se somhos repetidos nunca. Fai-me caso.

Evinha disse...

Os sonhos sempre mudam inda que se repitam os protas deles...Velaí as diferentes estaçons do ano pra mostrar-nos os também diferentes estadios pelos que imos passando...e sonhando de novo!